almanaque silva

Ícone

histórias da ilustração portuguesa

Folhas Caídas (I)

Barca Bela, Folhas Caídas, 1955

Por aqui passam dois livros de poesia, Folhas Caídas de Almeida Garrett e Luar de Janeiro de Augusto Gil, publicados pela editora Portugália nos anos cinquenta. Ilustrados por Maria Keil (Silves, 1914-Lisboa, 2012). Nas seis ilustrações a preto de Folhas e nas dezanove a sanguínea de Luar, a caligrafia de Keil é personalizada por uma vertigem cinética que lembra o traço nervoso de Júlio Gil. Mas o que era êxtase e sofrimento em Gil, é matéria em Keil. Matéria de sonhos mas ainda assim sujeita às leis e forças da Natureza. Onde se incluem as alegrias e tristezas dos amantes que povoam a paixão clandestina de Garrett pela Viscondessa da Luz ou a misoginia dolente de Augusto Gil. Keil domestica as paixões humanas sem malícia, a traço rápido, quase impreciso, riscando rostos vazios, sombras e transparências que evocam ainda o surrealismo da década anterior e que viria a refinar na obra-prima da literatura para crianças de 1967, O Cantar da Tila.

Fallen leaves I

Here we have two books of poetry, Folhas Caídas [Fallen Leaves] by Almeida Garrett and Luar de Janeiro [January Moon] by Augusto Gil, that were published by Portugália Publishers in the 1950s.  They were both illustrated by Maria Keil (Silves, 1914 – Lisbon, 2012).  In the six black and white illustrations she did for Folhas and the nineteen blood red ones for Luar, Keil’s calligraphy grows personalized in a form of kinetic dizziness reminiscent of Júlio Gil’s edgy drawings. However, Maria finds material in what, for Gil, was ecstasy and suffering.  Material for dreams but even so, subject to the laws and forces of nature. The joys and woes of the lovers that experience the secret passion the writer Almeida Garrett felt for the Viscountess da Luz or the pained misogyny of Augusto Gil.  Keil, with no malice, tames human passions; her swift, almost imprecise drawing line etches empty faces, shadows and transparencies that also evoke Surrealism in the 1940s and which she was to perfect in that masterpiece of children’s literature in 1967, O Cantar da Tila [The Song of Tila].

As ilustrações foram restauradas digitalmente  The illustrations were digitally restored

Rosa sem espinhos, Folhas Caídas, 1955

Não te amo, Folhas Caídas, 1955

Este inferno de amar, Folhas Caídas, 1955

Joaninha, Luar de Janeiro

Meditações sobre temas do Eclesiastes, Luar de Janeiro

O nosso lar, Luar de Janeiro

As ilustrações foram restauradas digitalmente  The illustrations were digitally restored

Fontes Sources

Inconfundível Maria Keil, Fernando de Azevedo, in Histórias para gente e palmo e meio, catálogo, CML, 2001

A praça é uma sala com árvores, João Paulo Cotrim, in Maria Keil, catálogo, Câmara Municipal do Barreiro/VerPraLer, 2007

Filed under: Maria Keil,

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Visitas

  • 271,805

Posts

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 1.054 outros seguidores

%d bloggers like this: