almanaque silva

Ícone

histórias da ilustração portuguesa

Vida de Inseto

A ilustração portuguesa tem no seu historial excelentes animalistas como Tóssan, Zé Manel e Fernando Bento. Ilustradores de caricatura virtuosa, composição coreografada a rigor e perspetiva laboriosa. A estes nomes podemos juntar o de Vasco Lopes de Mendonça (1881-1963), engenheiro, militar, ceramista e caricaturista, e ativo ilustrador no final dos anos 20 e durante a década de 30. A ilustração infantil portuguesa da época reportava-se ao exímios Alonso, Raquel Roque Gameiro, e Alfredo Moraes e ainda à revisão da herança do desenho de humor de Bordalo. A figuração animal era bastante realista como no celebrado Romance da Raposa, de Aquilino Ribeiro, ilustrado pelo francês Benjamin Rabier em 1924. O final dos vinte assiste ao boom do cinema de animação americano. É o tempo de Krazy Kat, Bimbo, Felix the Cat, e as Silly Symphonies de Walt Disney. Nas 75 obras desta série, os animais eram protagonistas habituais, como em The spider and the fly, de 31, ou Bugs in love, de 32, sem esquecer o Steamboat Willie de Mickey Mouse, o primeiro filme sonoro, em 1928.

Pertencente à terceira geração de uma linhagem notável das artes portuguesas (era sobrinho de Rafael e Columbano Bordalo Pinheiro), Vasco sintonizou a sua obra pela animação e banda desenhada estrangeiras. Se a figuração humana está mais próxima de um Little Nemo in Slumberland, no desenho de animais e sobretudo, nas histórias com insetos, o traço lembra as produções de Walt Disney, como no espantoso Aventuras do Mosquito Zigue-Zague, de 1936. Insetos de chapéu, sapatões e luvas em mãos de quatro dedos, passam por humanas peripécias, cronicadas pelo mosquito repórter, e onde não falta uma batalha com a temível aranha e happy end casamenteiro com a mosca Zizi. O livro tem texto da irmã Virgínia Lopes de Mendonça e a parceria familiar estendeu-se à estimável Biblioteca dos Pequeninos, edição da Empresa Nacional de Publicidade, onde tem tem, pelo menos, dez livros ilustrados. Para Virgínia desenhou ainda dois contos na revista Voga.

O papão da floresta, Voga, 4 outubro 1927

No lago dos cisnes, Voga, 18 dezembro 1927

O Mosquito Zigue-Zague, texto de Virgínia Lopes de Mendonça, Edições Europa, 1936

O Mosquito Zigue-Zague, texto de Virgínia Lopes de Mendonça, Edições Europa, 1936

O Mosquito Zigue-Zague, texto de Virgínia Lopes de Mendonça, Edições Europa, 1936

Arca de Noé, texto de Graciette Branco, Biblioteca dos Pequeninos 38, Empresa Nacional de Publicidade, 1931

A caixinha dos segredos, texto de Emília Sousa Costa, Biblioteca dos Pequeninos, Empresa Nacional de Publicidade, Natal 1929

Aventuras da Carochinha japoneza, texto de Emília Sousa Costa, Biblioteca dos Pequeninos, Empresa Nacional de Publicidade, 1928

Filed under: Vasco Lopes de Mendonça, , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Visitas

  • 373,446

Posts

%d bloggers like this: