almanaque silva

Ícone

histórias da ilustração portuguesa

A Volta ao Mundo

Igreja bizantina em Dafni, Grécia

1939. Em vésperas da Segunda Guerra Mundial, o escritor Ferreira de Castro e Elena Muriel, sua mulher, iniciam uma volta ao Mundo, visitando lugares que as bombas dos aviões haveriam de transfigurar. Ferreira percorre o berço de antigas e contemporâneas civilizações, numa demanda humanista que compara e assimila todas as diferenças culturais. Não foi um cruzeiro preguiçoso por cidades marítimas de agência de viagens mas de uma verdadeira aventura repartida por vinte navios diferentes, sem guias nem hora certa de embarque. O diário de viagem, escrito em quatro anos, foi editado em fascículos colecionáveis a partir de 1944 e apresenta abundante iconografia, entre fotografias e ilustrações. Um trio de peso ilustra o livro: Roberto Nobre em gravuras a duas cores, Júlio Amorim e Jorge Barradas nas tricromias dos extratextos com artefactos e costumes regionais aguarelados. Roberto Nobre (São Brás de Alportel, 1903-1969) talentoso crítico de cinema e um dos maiores ilustradores portugueses do seu tempo, foi cúmplice de Ferreira de Castro em inúmeras aventuras editoriais, de que o Almanaque já fez eco (Glória ao Trabalho). Apesar da opulência gráfica de A Volta ao Mundo, as fotografias a preto e branco não têm qualidade assinalável e são as ilustrações de Nobre a dar carisma ao livro, pontuando estratégicamente as andanças do casal Castro. Um expressivo preto secundado por diluídas cores ou por um sumptuoso dourado conferem uma inquietante personalidade a casarios e templos de bilhete postal. As generosas impressões a ouro, em sobreposição displicente ao preto, acentuam o caráter sobrenatural das realizações humanas sobretudo na arquitetura religiosa. A técnica, gravura em madeira ou linóleo, confere-lhes uma densidade dramática que não depende do rigor do traço mas da modelação de luz escavada na matriz. A visão “noturna” espetacular de Nobre, embora subsidiária dos ditames comerciais dos colecionáveis da época, foi uma alternativa ao academismo da representação da paisagem na ilustração em gravura de madeira a topo do século XIX ou nas aguarelas naturalistas de Roque Gameiro e Alberto Souza. E apresenta semelhança com as paisagens assombradas do seu contemporâneo António-Lino (também no Almanaque em God Save The Queen). A viagem gráfica de Roberto Nobre fica como um dos mais sublimes registos para um tema bastante equívoco na história da ilustração portuguesa.

Around the World

1939.  On the eve of the Second World War, the author Ferreira de Castro and his wife, Elena Muriel, began their journey around the world to visit places that air bombs were soon to transform. They travelled to the cradles of civilisations, ancient and modern, in their humanistic quest to compare and assimilate all cultural differences. This was no lazy cruise to port cities as devised by some travel agency but rather a real adventure that involved twenty different ships and no guides or set departure times. The travel journal was four years in the writing and started to come out in instalments in 1944 with a large quantity of photographs and illustrations. A brilliant threesome was responsible for the illustrations: Roberto Nobre for the two-colour engravings and Júlio Amorim and Jorge Barradas for the three-colour hors-texte plates of regional artefacts and costumes in watercolour. Roberto Nobre (São Brás de Alportel, 1903-1969) was a talented film critic and one of the greatest Portuguese illustrators of all time.  He had already worked closely with Ferreira de Castro on numerous editorial adventures, some of which Alamanque has already written about (Glória ao Trabalho). Although A Volta ao Mundo is graphically lavish, the black and white photographs are not particularly noteworthy and what makes the book enthralling are Nobre’s illustrations as they chart the couple’s wanderings. Expressive black is supported by watery colours or sumptuous gold that give a disturbing quality to his picture-postcard large houses and temples. Generous prints in gold rather imprecisely superimposed on black accentuate the uncanny character of human achievements, especially in religious architecture. Wood or lino printing techniques provide dramatic intensity that doesn’t rely on rigorous drawing lines but on modulated light that comes from the etched lino. Nobre’s ‘night’ vision, although compliant with the then commercial requirements of instalments, was an alternative to the academicism of wood print illustrations of landscapes at the end of the nineteenth century and naturalist watercolours by Roque Gameiro and Alberto Souza. And there are similarities with the haunted landscapes of his contemporary, António Lino (mentioned in Almanaque’s God Save the Queen post). Roberto Nobre’s graphic journey remains one of the most inspiring records for a rather equivocal theme in the history of Portuguese illustration. 

Emborio, Ilha de Santorini, Grécia

Colina de Bizâncio, Istambul, Turquia

Porta de Nanquim, China

Templo de Hirosaki, Japão

Missão São Gabriel, Los Angeles, Estados Unidos

As ilustrações foram restauradas digitalmente  The illustrations were digitally restored

Fontes

A Volta ao Mundo, Empresa Nacional de Publicidade, 1944

Ferreira de Castro – Roberto Nobre, Correspondência 1922-1969, Ricardo António Alves, Editorial Notícias, 1994

http://ferreiradecastro.blogspot.pt/

Filed under: Roberto Nobre,

One Response

  1. Viva, Silva! És imparável e arranjas sempre umas historias muito interessantes a todos os níveis. Obrigada por esta leitura semanal a que já me habituei e muito aprecio.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Visitas

  • 373,396

Posts

%d bloggers like this: