almanaque silva

Ícone

histórias da ilustração portuguesa

Notre Janine

Janine revista Eva 1

“Os grandes armazéns de Lisboa já organizavam passagens de modelos desde o final dos anos 20, mas só em 1937 o primeiro evento de alta costura em Portugal mostrou às senhoras da alta sociedade o que estava a dar em Paris – num salão luxuoso, do Palácio Foz, serviu-se chá, ouviu-se uma orquestra de jazz e dançou-se até às 9h da noite.” O chá dançante, uma espécie de matinée do mais famoso night club da época, o Maxim’s, foi organizado pela revista Eva, Jornal da Mulher e do Lar, fundada 12 anos antes. Era a Alta Costura possível em Lisboa, copiando Paris a partir dos tecidos e das dispendiosas toiles (peças feitas pelos estilistas para testar os modelos, geralmente em materiais pobres e maleáveis como a musselina ou papel) que Maria Luísa Silva Teixeira, a proprietária da Casa Bobone, no Chiado, e Maria da Piedade do Vale, fundadora da Madame Valle, no Marquês de Pombal, compravam em Paris duas vezes por ano, deslocando-se no comboio Sud-Express em penosas viagens de 48 horas. Outra célebre estilista da época, Ana Maravilhas, gabava-se da sua excelente memória, capaz de fixar, durante os desfiles a que assistia em Paris, todos os pormenores que iam dar o tom da estação. As revistas femininas aprimoravam-se neste interesse requentado com copiosas ilustrações de figurinos que oscilavam entre a competência de mão estrangeira e o amadorismo nacional. Mas em 1941 surgem na Eva desenhos de moda com a misteriosa assinatura Janine. Tinham o olhar de estilista profissional e o seu traço, coleante e preciso, substitui o traço simplista do figurinista anterior da revista, Júlio Torres. Janine ilustra os modelos das casas de moda lisboetas e dos famosos de Paris, como Dior, Griffe, Patou e Balmain, em aguadas bicolores, com o preto do lápis ou da tinta da china sempre presente, rasgando ousadas composições em páginas e planos inteiros da revista, brilhando num género geralmente marginalizado na História da ilustração. Janine era pseudónimo de Guida Ottolini (Lisboa,1915-1992), ilustradora da terceira geração de uma extraordinária família de artistas, os Roque Gameiro. Filha de Raquel, neta de Alfredo, discípula dos dois, desenhou freneticamente em revistas, livros e jornais infantis ao longo de mais de três décadas. Durante os anos trinta foram suas muitas das belas capas da Eva, revelando um acerto com o modernismo nacional raramente alcançado na sua prolífica produção para crianças. Podemos apreciar as suas glamourosas toilettes femininas nas páginas da Eva até 1953, quando são substituídas gradualmente por editoriais de moda fotografados.

Janine

“In 1937, the first Haute Couture event to take place in Portugal presented society ladies with the latest Parisian fashion in a magnificent state room in Palácio Foz. Tea was served, a jazz band played and dancing went on until 9pm.” The tea dance was a sort of matinee version of the entertainment offered at Maxim’s, the most famous nightclub in Lisbon, and had been organised by the magazine Eva. It was the best that Lisbon offered in Haute Couture. Maria Luísa Silva Teixeira, who owned ‘Casa Bobone’ in the Chiado, and Maria da Piedade do Vale, who opened ‘Madame Valle’ near Praça Marquês do Pombal, would go to Paris twice a year on exhausting 48-hour train journeys to buy fabrics and expensive toiles (fashion designers made these in cheap, pliable material such as muslin and paper in order to try out patterns and models) with which they could make copies of fashionable garments. Another famous dressmaker of the time, Ana Maravilhas, boasted that, thanks to her excellent memory, she could retain every detail of what she saw at the Paris fashion shows that would set the tone for the next season. Women’s magazines cultivated this refined interest and taste with quantities of fashion illustrations that alternated between those by experienced foreign artists to others by Portuguese amateurs. But in 1941 fashion illustrations mysteriously signed ‘Janine’ appeared in Eva. They revealed the eye and hand of a professional in the sinuosity and precision that enhanced the fashionable garments of Lisbon designers and also those of leading fashion houses in Paris such as Dior, Griffe, Patou and Balmain. Janine created bold compositions in watery two tones and black, either in pencil or China ink, that came out full page in Eva. She excelled in a genre usually side-lined in the history of illustration. Janine was the pseudonym of Guida Ottolini (Lisbon, 1915-1992), the third generation of the extraordinary Roque Gameiro family of artists. She was the daughter of Raquel, the granddaughter of Alfredo and a disciple of both. She went on to draw at a hectic pace for magazines, books and children’s literature for over thirty years.  We may enjoy the glamorous women she drew for Eva until 1953, when photographs gradually came to replace her illustrations.    

Janine revista Eva 2

Janine revista Eva 3

Janine revista Eva 4

Janine revista Eva 5

Janine revista Eva 6

Janine revista Eva 7

Fontes Sources

Imagens: 1: Eva, Natal 1941; 2: Eva, Natal 1941; 3: Eva, Natal 1948; 4: Eva, Natal 1951; 5: Eva, Natal 1953; 6: Eva, Natal 1949; 7: Eva, Natal 1946

http://www.modalisboa.pt (citação inicial)

Dicionário dos Autores de Banda Desenhada e Cartoon em Portugal, Leonardo de Sá e António Dias de Deus, Edições Época de Ouro, 1999

Filed under: Guida Ottolini, Janine, , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Visitas

  • 373,446

Posts

%d bloggers like this: