almanaque silva

Ícone

histórias da ilustração portuguesa

O Sol brilhará para todos nós! (2)

batalha da produção

Vânia colecionava autocolantes. E marcadores de livros, porta-chaves, pins, caixas de fósforos e bilhetes de elétrico com capicuas. E ainda selos, bonecos de gelados, brindes de bolo-rei, botões, leques, etiquetas de fruta, postais, chávenas e copos, medalhas e miniaturas. Mas o colecionismo não era o seu único hobby. A cerâmica era outro, manifestação de uma carreira artística frustrada pela família, que não a deixara cursar as Belas Artes. Acabaria por se licenciar em Farmácia e trabalhou como analista quase toda a vida no hospital Pulido Valente. Pertenceu ao MUD Juvenil e foi militante do Partido Comunista Português. Vânia nasceu em 1929, em Seia e o seu exótico nome, à época, deveu-se à paixão que a mãe tinha pelos livros de autores clássicos, como O Tio Vânia, peça teatral do escritor russo Tchékhov. Vânia faleceu em Lisboa em 2007. A sua coleção de autocolantes, cerca de 4.500 exemplares, relacionada com o universo ideológico e partidário do PCP nos anos do PREC, pertence agora à Biblioteca Silva. A difusão pública deste acervo, de que a série de posts «O Sol brilhará para todos nós!» dá o primeiro passo, é um merecido tributo à memória da colecionadora Vânia Amália Sampaio.

A quantidade incomensurável de propaganda política e a sua espantosa pulverização geográfica e ideológica, após o 25 de Abril, foram uma janela de oportunidade para milhares de artistas amadores que traçaram com entusiasmo palavras e imagens em pequenos retângulos de papel autocolante, rapidamente impressos em gráficas amigas, repartidos por células e comitês, oferecidos ou vendidos com convicta militância pelos camaradas, em escolas, empresas e ruas. Ajeitando a mão pelos cartunistas da moda ou copiando os camponeses e operários heróicos do realismo socialista soviético, ilustres desconhecidos, sem escola nem estilo, faziam gato-sapato das leis da perspetiva, da anatomia do corpo humano, ou das mais elementares regras de composição tipográfica, numa inocência desenhada que foi o espelho exato da inocência de fazer política nos tempos do PREC.

DAMAIA

MOMPOR

SEIXAL

SAAL TAVIRA

TIMEX

SEIXAL RA

V N GAIA

viva o povo trabalhador

TUDOR

cedofeita

MÓVEIS BAÍA

17 TMG

ALENQUER

FUNDOS EM LOURES

UJC

 

Filed under: Autocolantes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Visitas

  • 567.787

Posts

%d bloggers like this: